setembro 28, 2006

"A dama na água"

(Lady in the water, 2006 – M. Night Shyamalan)
Esta estória que o diretor costumava contar para a filha e decidiu transformar em cinema é fantástica, tanto pela idéia quanto pela execução. Dar a uma menina - que mora nas águas de uma piscina de um condomínio de classe média - a missão de encontrar um escritor cujas idéias vão salvar o mundo é uma mistura de ousadia e coragem: se o expectador não mergulhar de cabeça nesse conto de fadas, não há como prendê-lo na cadeira até o final da projeção. Mas Shyamalan consegue. Com Paul Giamatti liderando um elenco afiadíssimo (sem exceção), “A dama na água” encanta com sua simbologia, desde a animação inicial até o desfecho arrebatador. Se a presença do diretor com um papel de destaque na trama (ao contrário de suas aparições hitchcockianas nas películas anteriores) irritou a crítica, a mim causou deleite: adorei a pretensa superioridade que ele permitiu a si mesmo. Não posso dar mais detalhes sob o risco de entregar uma grande surpresa. Ah, e a caracterização do personagem que interpreta o crítico literário é soberba e igualmente hilária. Somando-se todos os detalhes desta fábula, chega-se à conclusão óbvia: estamos diante de um grande filme de um grande diretor.

4 comentários:

Eduardo Miranda disse...

Demas, gosto muito de "A Vila" e dos outros filmes do Shyamalan, mas não consegui ser convencido por "A Dama na Água". Acho a trama boa, mas o roteiro um pouco fraco. Mas isso é opiniao pessoal. Bem, quanto ao Festival aqui no Rio, estou fazendo malabarismo para conciliar o trabalho com as sessões de cinema. Alguns filmes muito bons, como o do Wim Wenders, o do Ken Loach e o filme "C.R.A.Z.Y." e outras bombas, tipo o filme do Altman, o filme do suicídio "A Ponte" e o "100 escovadas...", que eu tinha grande expectativa, mas acabei tendo uma enorme decepção. Bem, é isso! Um grande abraço!

Eduardo Miranda disse...

Ah, esqueci de dizer: adorei seu blog do Chico Buarque. Abraço!

Wallace Andrioli Guedes disse...

A Dama na Água é um filme mágico. Possui uma beleza rara, como só Shyamalan é capaz de imprimir nos seus filmes.
Postei lá no blog sobre os filmes vistos em setembro. Passa lá ...

Demas disse...

Eduardo e Wallace, andei sumido do blog por pura falta de tempo mesmo. Ontem, dei uma atualizadinha. Abração para vocês.

PS: Eduardo, o "Buarqueando" também andou meio abandonado, mas já estou reparando isso.