dezembro 07, 2007

"No vale das sombras"

(In the valley of Elah, 2007 - Paul Haggis)
Na sua segunda investida como diretor, Haggis volta as lentes para a sociedade americana e a guerra do Iraque. Tommy Lee Jones - numa interpretação contida e serena - é um militar aposentado que se orgulha do seu país, do seu governo e do exército norte-americano... até o dia em que seu filho - que lutara no Golfo - desaparece e é considerado um desertor. Como ele não acredita nessa hipótese, parte em busca da verdade, confrontando militares, investigadores e colegas do jovem combatente. Nesse percurso lento e doloroso pelo passado recente do filho, o pai vai mergulhando na realidade crua, dilacerante e nada gloriosa das guerras, cheia de medos, mentiras, traumas e descasos. As verdades que vão sendo reveladas mostram as feridas abertas com que os cidadãos norte-americanos têm convivido desde os atentados de 11 de setembro. E em "No vale das sombras", Haggis coloca-se como porta-voz desse sentimento. A cena final (que poderia ser bem mais impactante se não tivesse uma outra quase idêntica no começo do filme) é um evidente pedido de socorro.

11 comentários:

Vinícius P. disse...

Não tenho nada contra o Paul Haggis, aliás ele tem alguns roteiros ótimos, mas não estou com muita vontade de ver esse filme - especialmente porque faço parte do time que não gostou de "Crash". Se ver nos cinemas, será apenas pelo elenco...

Abraços!

Demas disse...

Vinícius,
na verdade, não acho que "Crash" seja um filme genial, mas também não o acho medíocre. Minha avaliação de "No vale..." é parecida.
Abração

Michel Simões disse...

Tô mais p/ Prego na cadeira com esse do Hagis

Prensada disse...

Fui assistir pelo elenco; o filme é bom mas não me deixou impactada como eu esperava.
A melhor cena , sem dúvida, é a final.

Ronald Perrone disse...

Parece ser interessante e o T.L. Jones vem melhorando a cada ano!

Demas disse...

Michel,
não achei tão ruim não.
Abração

Prensada,
o filme poderia ser melhor mesmo,
mas dá sua mensagem.
Abração e obrigado pela visita.
Volte mais.

Ronald,
sou do Tommy Lee Jones desde sempre, acho ele um ator de primeira.
Abração

Camila Vieira disse...

Eu achei No Vale das Sombras melhor que Crash. Acho que Paul Haggis precisa ainda melhorar na condução narrativa de seus roteiros...

Rodrigo Fernandes disse...

Não gostei do crash... assisti achando que era algo e vi outra coisa na telona, é o tipo do fime que "se acha muito" e passa pouco para quem assiste, mas...
quanto a esse vi já coemntários bons e ruins, por isso me deixa mais ansioso para assisti-lo...
é a primeira vez que entro aqui e nãos ei.. o que significa essa cotação sorrisinho?? é do tipo que encara o filme meio contra a vontade?
abraços

Demas disse...

Camila,
achei que o filme começa bem, com uma premissa instigante e tal. Mas se perde na hora de mostrar ao pai as "aventuras" do filho desaparecido e o desfecho do sumiço do garoto é tão tosco que - quase - põe tudo a perder.
Abração

Rodrigo,
obrigado pela visita.
Bom, não tenho essa birra que a maior parte dos blogueiros tem, mas o filme deixa a desejar.
Quanto ao "Sorrisinho", basta olhar o quadro de cotações do lado direito/superior da página do blog. É apenas uma maneira mais descontraída de dar minhas notas, significando que o filme é apenas um pouquinho acima da média.
Abração

Vinícius P. disse...

Puxa, vi o filme essa semana e achei tão fraco! Não esperava que fosse tão ruim. Na verdade é ainda pior que "Crash". Começou até bem, mas a trama se desenvolve de uma péssima maneira - ao menos gostei do desfecho...

Abraço!

Demas disse...

Vinícius,
também acho que o filme é pior que "Crash". Começa bem e vai-se perdendo. Gosto menos hoje do que quando o vi - e isso é um péssimo sinal.

Abração