junho 17, 2006

"Camelos também choram"

(Die geschichte vom weinenden kamel, 2003 - Byambasuren Davaa & Luigi Falorni)
Uma comunidade nômade no deserto da Mongólia tem sua rotina alterada pelo nascimento de um camelinho albino cuja mãe se recusa a amamentá-lo. Enquanto acompanhamos as tentavivas vãs de se juntar os dois animais, conhecemos um pouco da rotina dessa família mongol que vive em tendas móveis - até aconchegantes - longe da tecnologia (um radinho de pilhas é o máximo que possuem) e arraigada a tradições milenares. Ao intercalar essas situações, os diretores de "Camelos também choram" constróem um filme simples, autêntico e - por isso mesmo - tocante e envolvente. Quem tiver paciência de acompanhar o desenrolar tranqüilo dos 87 minutos dessa produção entenderá o que estou tentando descrever.


2 comentários:

Anônimo disse...

Eu assisti na TV Cultura nesta última Sexta (19/07) e entendo o que vc quer dizer. Esse filme mostra aquilo que realmente poderia ser chamado de HUMANO. O que essa família não tem de tecnologia ela tem de desenvolvimento social (o que, na minha opinião, é muito mais importante do que ter acesso ao "inferno eletrônico" em que vivemos). Um excelente filme!

Wagner

Demas disse...

Wagner,
não sabia que iria passar na Cultura, senão teria reassistido.
Abração e obrigado pela visita.